Prezados leitores!

O presidente Michel Temer encaminhou ao Congresso Nacional, na última sexta-feira, o texto do projeto de lei que “dispõe sobre o auxílio-inclusão para a pessoa com deficiência moderada ou graça”.

O projeto é interessante, preocupa-me quem pagará esta conta? Longe de criar polêmica, todo benefício aos portadores de deficiência ou programas de inclusão são bem-vindos, mas acontece que hoje vivemos previdenciariamente tensos, muito perto do colapso, necessitamos urgente de uma reforma.

Qual a sua opinião?

Este benefício já existe (BPC – Benefício de Prestação Continuada), acontece que o profissional portador de deficiência após ingressar no mercado de trabalho, a fonte pagadora (INSS) corta o benefício. O valor pago corresponde a 01 SM (Salário Mínimo – R$ 954,00), projeto prevê a manutenção do benefício (manter) no valor R$ 477,00 (equivale  50% do SM).

Apesar do projeto, se aprovado, gerar um gasto extra a curto prazo, a expectativa é que a medida estimule o preenchimento de mais vagas no mercado e os benefícios de prestação continuada sejam substituídos pelo auxílio-inclusão, representando metade do gasto.