A gestão de pessoas não é uma tarefa simples, e quem trabalha no setor de Recursos Humanos certamente já se deu conta disso. Ao mesmo tempo em que, atualmente, os trabalhadores são considerados verdadeiras peças-chave do sucesso de qualquer organização e a força motriz das empresas, eles também possuem uma série de complexidades. Cada pessoa tem um jeito próprio de ser e de realizar o seu trabalho, e é preciso que os profissionais de RH estejam atentos para extrair de cada colaborador o seu melhor.

Mas como fazer isso? Gerir pessoas é uma tarefa que exige uma boa dose de empatia e um olhar criterioso tanto para a empresa quanto para o seu corpo funcional. Também é preciso ficar atento para não se deixar levar por falsas informações ou crenças prejudiciais.

Neste post vamos esclarecer os 5 mitos da gestão de pessoas que podem colocar em risco a eficiência e qualidade da sua equipe de trabalho. Confira quais são!

1. O RH é o único responsável pelo desenvolvimento dos colaboradores

Esse, sem dúvida, é o maior mito da gestão de pessoas. Muitas companhias deixam sobre o RH toda a responsabilidade pela qualidade do seu pessoal, incluindo a prática de dar feedback para os colaboradores. Isso é um grande erro. Na verdade, o setor de pessoal é apenas mais um responsável pela qualidade dos trabalhos.

Os líderes de qualquer setor podem e devem orientar os seus funcionários sobre as melhores práticas, e ninguém melhor do que a chefia imediata para avaliar e corrigir o trabalho dos seus subordinados.

2. Os melhores incentivos são financeiros

Eis aqui outro grande equívoco que permeia a gestão de muitas — boas — empresas. Claro que todos gostam de ser bem remunerados pelo que fazem e uma graninha extra é sempre bem-vinda. Mas, certamente, existem maneiras mais eficazes de despertar na sua equipe de trabalho o entusiasmo pelas funções e a dedicação à empresa, e a palavra de ordem nesse caso é reconhecimento.

Os funcionários se sentem muito mais motivados a trabalhar quando veem os frutos do seu trabalho e são reconhecidos e elogiados pela sua liderança. Um feedback positivo do gestor pode trazer resultados muito maiores do que um simples aumento ou comissão.

3. O RH não é um setor estratégico para a empresa

Foi-se o tempo em que o setor de Recursos Humanos cuidava apenas da contratação, demissão e aperfeiçoamento dos colaboradores. Cada vez mais se tem falado na importância de se desenvolver um RH estratégico, interligado com os demais setores da empresa e atento às necessidades do empreendimento. Numa economia cada vez mais competitiva, vai se sobressair a organização com maior coesão e dinamismo, e isso vale também para a sua estrutura interna.

4. O uso da tecnologia é dispensável para a Gestão de Pessoas

Esse é mais um grande erro da gestão de pessoas. Engana-se quem pensa que a tecnologia não é capaz de auxiliar na atividade do RH. Existem aplicativos e programas capazes de revolucionar os trabalhos desse setor, como os que alertam sobre prazos para cumprimento da legislação, auxiliam no cálculo da folha de pagamento dos funcionários, lembram do uso dos Equipamentos de Proteção Individual, e muito mais.

5. Feedback não é importante

Por fim, não poderíamos deixar de citar esse mito. O feedback é muito importante para a qualidade dos trabalhos executados pela equipe. É ele que vai direcionar as atividades para as áreas mais importantes e carentes da empresa, que vai alertar os trabalhadores sobre o acerto de suas condutas ou a necessidade de melhorias. Ele é uma espécie de bússola, que orientará a equipe sobre os melhores caminhos a seguir.

Viu só como existem vários mitos sobre o tema? Agora que você já os conhece, é só ficar atento e evitar cair na armadilha. Os colaboradores são o ativo mais valioso de uma empresa, e os principais responsáveis pelo seu sucesso.

Gostou do nosso artigo sobre os cinco principais mitos da gestão de pessoas? Então, compartilhe nas suas redes sociais! Seus amigos também podem se beneficiar deste conteúdo!