Ao longo da semana iniciaremos uma série de 3 dicas para você trabalhar o Employee Experience em sua empresa. Nessa primeira publicação falaremos de valor.

Employee Value Proposition (EVP) (ou como ser mais humano com as pessoas)

A aplicação do EX em nosso dia a dia é muito mais simples do que parece. Gostamos muito da definição que o Arthur Ranieri, da Livework, tem sobre o termo:

“A Experiência do Colaborador é a percepção acumulada de todas as interações do colaborador com os componentes que estruturam a organização – pessoas, políticas, processos, atividades, ferramentas de trabalho, infraestrutura física e digital.”

Realmente, é algo muito mais voltado ao feeling do que a uma técnica.

E as ferramentas estão aí para nos ajudar. O EVP é uma dessas ferramentas que clareiam nosso norte. Vamos colocar em alguns bullet-points fatos importantes sobre ela:

  • O EVP pode ser explicado de uma forma muito simples: dar “match” entre os valores e experiências propostas pela empresa com as habilidades e capacidades de um colaborador;
  • Uma proposta de valor bem estruturada e executada, normalmente responde a três perguntas:
    • Quão único e não-tradicional são as recompensas da empresa?
    • O que faz a nossa gestão de pessoas ser boa e não “capenga”?
    • O que faz a nossa cultura ser especial?
  • Uma proposta de valor para o colaborador tem fundamento quando ela é olhada para: o que, além do dinheiro, estou entregando para a pessoa que está em minha empresa?

No próximo artigo voltamos falando um pouquinho sobre “Coleção de Fatores” da empresa para gerar uma experiência agregadora para os colaboradores.

Estas publicações foi feita em parceria com a Colab.