Podemos todos nos comunicar de diversas maneiras. Comunicação verbal, escrita, oral, com gestos, posturas, entre outras. Mas, como se costuma dizer: “comunicação não é o que você diz. É o que as pessoas entendem”. Daí a importância de sermos cuidadosos ao transmitirmos uma mensagem.

Somos apresentados à Comunicação Organizacional como sendo: ”conjunto de ações, estratégias e produtos, planejados e desenvolvidos por uma organização para estabelecer a relação permanente e sistemática com todos os seus públicos de interesse (stakeholders)’’. Basicamente, Comunicação Organizacional é todo o planejamento e trabalho realizado afim de transmitir uma mensagem para os diversos públicos de uma organização: colaboradores, gestores, diretores, imprensa, sociedade, fornecedores, clientes, entre outros.

Infelizmente, quando nos comunicamos, não podemos garantir que a mensagem que queremos passar será totalmente compreendida pelo receptor (público alvo). Isso porque, ao transmitir uma mensagem, ela sofre várias influências, tais como: o domínio que o emissor possui do idioma, interesses individuais, conhecimento do tema, atenção como ouvinte, entre outros. Podemos minimizar estas influências que interferem na comunicação. Como? Tendo total domínio do tema abordado, conhecendo o público que receberá a mensagem, conhecendo os interesses destas pessoas, se preparando e conhecendo a linguagem utilizada por elas, se adequando!

E para se ter uma boa Comunicação na organização é necessário, antes de tudo, ter uma Política de Comunicação estruturada, que nada mais é do que normas que definem como deve ser o planejamento, o desenvolvimento e a aplicação no processo de Comunicação. É necessário que todas as etapas estejam sempre muito bem alinhadas internamente, para que se mantenha a política coerente, evitando possíveis incidentes e mal-estares.

A Comunicação Organizacional Interna surgiu aproximadamente em 1950, e foi necessário o seu aprimoramento pelas regras da CLT. Para passar informativos, eventos, regras, benefícios e demais comunicados. Com o objetivo de manter os colaboradores informados e cientes dos acontecimentos internos, externos, dos seus direitos e obrigações.

No geral, organizações de grande porte possuem uma área própria para comunicação, um setor dedicado a isto. Porém, empresas de pequeno e médio porte também podem ter uma política estruturada e um bom funcionamento neste tema, mesmo que não tenham um setor dedicado a isto.  Como exemplo, podemos citar algumas áreas que costumam ficar responsáveis pela comunicação interna e externa:

Recursos Humanos: divulga informativos on-line (por e-mail ou portal corporativo), sobre novas regras, benefícios, eventos internos e comunicados em geral. Frequentemente, contam com o suporte da Diretoria.

Marketing: promove eventos em feiras; faz parcerias; realiza contato com a imprensa; acompanha a saúde da marca e a percepção do consumidor nas mídias sociais.

A Comunicação pode ser realizada por vários setores e canais, mas o importante é se preocupar em informar sobre os acontecimentos da maneira certa, no momento certo, e que isso chegue a todos os colaboradores. Qualquer pessoa se sentiria ‘’esquecida’’, vendo notícias sobre a organização em que trabalha por fontes externas (jornal, tv, outras pessoas…), e não pela própria organização.

Importante também, é claro, criar um espaço para interação e troca de conhecimentos entre os próprios colaboradores. Atualmente, há diversas ferramentas que podem ajudar neste sentido.

Seja qual for a solução adotada, a organização deve estruturá-la, apresentá-la aos colaboradores e claro, usá-la!  Assim, teremos colaboradores que se sentirão amparados e incluídos nos planos da organização, estando sempre cientes de todos os  acontecimentos.