Se você já precisou dar um feedback negativo a um funcionário ou colega, certamente já se perguntou se é possível fazer isso sem causar ressentimento ou até mesmo comprometer o relacionamento. Afinal, mais difícil do que fazer uma crítica, mesmo que construtiva, é ouvir, assimilar e colocar em prática.

Antes de tudo, é importante lembrar que o feedback negativo não é uma ofensa, mas, sim, uma oportunidade de melhorar. Ao oferecer uma avaliação a alguém, você está interessado em sua evolução. E é importantíssimo que o interlocutor tenha isso em mente antes de transmitir o recado.

Para tornar essa tarefa menos árdua, reunimos algumas dicas para você. Confira!

1. Construa boas relações

É importante construir relações amigáveis, de respeito e confiança com os colegas. Elas facilitam os momentos mais tensos e diminuem as chances de um feedback negativo ser mal interpretado.

Por isso, cuide do seu relacionamento com os colegas de trabalho desde os primeiros momentos. Mantenha uma comunicação aberta e sincera com eles. Isso deixará claro que uma eventual crítica não é pessoal e não tem o intuito de prejudicar, apenas de contribuir para a melhora.

2. Seja objetivo

Você talvez já tenha ouvido falar sobre a técnica de começar um feedback negativo com um elogio. Pode parecer bom, mas o ideal, nessas horas, é ser objetivo e não tentar “disfarçar” suas intenções.

Vá direto ao ponto, mas fale de forma positiva. Não deixe de ressaltar que a intenção é contribuir para o crescimento do profissional e que a empresa acredita que ele tem potencial para se tornar excelente. Mostrar o lado positivo é mais eficiente do que fazer um elogio aleatório.

3. Seja impessoal

Algumas pessoas têm uma dificuldade maior para diferenciar feedbacks negativos de ataques pessoais. Por isso, na hora da conversa, procure se afastar do conteúdo da sua mensagem. Fale da maneira mais profissional possível, ressaltando que a mudança de comportamento é necessária para o bem da empresa e que você a representa no momento.

4. Foque nos fatos

Jamais atribua características ao profissional e tome muito cuidado com os adjetivos. Nunca diga, por exemplo, que ele é lento ao desempenhar suas tarefas. Foque nos fatos que geraram o feedback: o atraso na entrega de alguns projetos que não deve se repetir.

Adjetivos tornam as críticas pessoais e dão a entender que o profissional possui aquela característica — o que pode acabar com a motivação para mudar o comportamento. Além disso, com esse tom pessoal, o risco de a pessoa ficar na defensiva e magoada são maiores.

5. Elogie

Não dê apenas feedbacks negativos — elogie! Os elogios reforçam comportamentos e motivam a equipe muito melhor do que repreensões. Por isso, saiba criticar de forma construtiva quando necessário e saiba reconhecer os bons resultados sempre. Com um bom equilíbrio entre os dois pontos, o clima e a produtividade na empresa certamente vão melhorar.

6. Faça o melhor para a empresa

Em muitos momentos, vamos nos sentir desconfortáveis com algumas situações ao longo de nossa vida profissional. Mas é importante manter em mente que, desde que nossas intenções sejam positivas, os resultados tendem a ser igualmente benéficos. Seja sincero em sua vontade de fazer o melhor para a sua empresa.

Agora que você já aprendeu a dar um feedback negativo, confira quais são as cinco práticas para conseguir uma equipe de alta performance!